História do Clube

A História


 


O Clube Campestre nasceu do desejo de um grupo que viu a necessidade de ter no município um espaço democrático para o lazer. Armante Guimarães, Enio Jayme Fernandes, Alisson de Almeida Furtado, Elbio Alberto do Vale, Oscar Campos Lisboa, Luzardo Frederico Jayme Martins, Jorge Lima Junqueira, Galeno Jayme, Luiz Carlos Cunha, Iturival Nascimento, Chafic Antonio, Gonzaga Jayme e Jones Emerich, sócios fundadores, é que iniciaram a trajetória de sucesso do Clube, fundado em 14 de julho de 1965.

O primeiro passo foi adquirir um local para construção da sede. Wagner Azevedo, neto de dona Margarida, estava vendendo as terras da falecida avô, e os pioneiros consideraram o espaço propício para a realização do projeto, por ficar próximo à área central da cidade, ter um olho de água, mangueiras, dentre outros requisitos.

Em seguida foi montada a primeira diretoria do clube, encabeçada por Alisson e Enio. Para fazer a logomarca do Clube foi convidado o professor Waldir Emrich que decidiu utilizar uma abóbora como símbolo, uma homenagem à cidade, que sempre foi conhecida como "Rio Verde das Abóboras".

Na logomarca deveria haver também um sapo para representar o córrego que margeava as terras do Clube. Por sugestão do seu irmão, Edsel Emrich Portilho, o professor resolveu quebrar a abóbora e colocar o sapo dentro. Daí surgiu a logomarca usada até os dias atuais. As primeiras obras realizadas no Campestre foram a portaria, uma piscina grande, o vestiário e o lago.

Diretorias

Alisson de Almeida Furtado foi o primeiro que comandou o Clube. Sua gestão foi de 65 a 67, repassando o bastão para Enio Jayme Fernandes, que presidiu a diretoria de 67 a 68.  Finalizou a fase de implantação, Armante Guimarães, que ficou na presidência de 68 a 69.

De 69 a 73, o Clube teve no comando o advogado Gonzaga Jayme. Juntamente com o Vitalino Leão Martins (73 a 74); Alirio Macedo (de 74 a 7)5; Valter Venâncio Guimarães (de 75 a 76), Ricardo Campos Sobrinho (de 76 a 79) e Vitalino Leão Martins(80 a 81), viveram o momento de solidificar o Campestre com a missão de aumentar o quadro social e estabilizar as finanças.

Em 1981, Lauro Almeida, assumiu a presidência, entregando o cargo em 84. Nesse período, o Campestre passou a ser o local onde a sociedade rio-verdense se encontrava principalmente nos eventos artísticos promovidos pelo clube.

As gestões de Marco Pólo (84 a 85) e Paulo Campos Filho (86 a 88) foram marcadas por uma turbulência financeira, reflexo da inflação que castigava o País. Coube a José Walter Alves Louly, ao assumir e comandar o Campestre de 88 a 90, realizar uma administração de recuperação, que teve sequência no período de 90 a 91, com o professor Claudino Collet. Também nessa época foram realizadas as primeiras edições da Festa dos Estados, mostrando costumes e tradições de diversas regiões brasileiras.

Primeira mulher a assumir a presidência do Campestre, Ivone Aparecida Siqueira Emeric (91 a 93) realizou um trabalho reconhecido pelos sócios como de muita importância na sequência de recuperação do clube. Também fez importantes realizações nesse sentido o presidente Garibalde Candido da S. Filho, que ficou de 93 a 95.

A gestão de Garibalde também investiu na parte de infraestrutura, com a construção do vestiário, das duas primeiras quadras de tênis de saibro, do campo de futebol society, além de dar início ao processo de informatização do Campestre com a aquisição dos primeiros computadores do Clube.

A partir de 1996, o Clube começou a viver uma nova fase na administração. Moacir Queiroz de Oliveira, presidente de 96 a 97 popularizou o Campestre fazendo com que a comunidade rio-verdense o frequentasse, através de eventos como o Baile do Hawaii, tradição que vem se mantendo ao longo dos anos.

O tradicional Baile de Carnaval foi criado durante a administração de José Luiz Santini, de 97 a 99. Em sua gestão e nas duas seguintes, também de Moacir Queiroz de Oliveira, que dirigiu novamente o Clube de 99 a 2003, foi construída a primeira grande obra: o Ginásio de Esportes.

Elivan Alves Arantes assumiu com a determinação de tornar o clube mais restrito aos associados. Ele também presenteou os sócios com novas obras: a academia do clube e um parque infantil aquático. Reeleito, comandou o Campestre por duas vezes seguidas, de 2003 a 2007. Sua diretoria trouxe aos associados memoráveis eventos, tais como, o Arraiá do Campestre, Réveillon e Festa das Crianças. Em sua gestão, o processo de informatização do Clube foi intensificado e a tecnologia chegou até os bares e academia do Campestre.

Após seu mandato, assumiu Carlos Soares de Castro, com a missão de redigir e aprovar o novo estatuto, já que o anterior não atendia as necessidades do Clube, sendo necessário modernizá-lo.

Em uma assembleia geral o novo estatuto foi aprovado, e com ele surgiu a necessidade de fazer o recadastramento de todos os sócios. A administração de Carlos Soares consolidou os eventos tradicionais e um estacionamento interno com capacidade para 400 veículos, construído na área externa do Clube, foi entregue aos sócios, no final de seu mandato.
Em 2009, uma segunda mulher assume a presidência do Campestre. Mariluce Siqueira de Azevedo Lacerda e sua equipe de diretores se dedicaram a tornar o Clube cada vez mais atrativo, oferecendo serviços que beneficiem os associados, adquiriu um novo terreno para agregar ao clube mais espaço e novas opções de lazer.
Nesta administração se consolidou de vez os já tradicionais eventos que o clube, como Carnaval, “Arraia do Campestre” (festa Junina), Baile do Hawai, Réveillon, Festa das Crianças, e ainda construiu o bar e restaurante central “O Campestre Bar”. Em 2012 assumiu a presidência do clube o Sr. Roberto Lauro Tambasco Junior, que veio com a intenção de fazer uma reforma geral na administração do clube, como um administrador nato colocou as finanças em dias, e agora começará a construir, reformar e revitalizar todo o clube, sendo elas:


Troco a subestação de energia para 500kWA.


Construção de Parque infantil moderno


Reformar o Campestre Bar


Complexo Futsal e Basquete (cobertura e reforma geral)


Casa de Apoio


Construção de vestiário, fraldário e banheiros.


Complexo de Peteca, cobertura e reforma.


Complexo de Areia para pratica de futvolei e vôlei de praia.


Reforma e Construção no Piano’s Bar.


Complexo de Squash.


Construção de mais 2 quadras de tênis


Cobertura de uma quadra de tênis.


Revitalização das churrasqueiras


Construção de uma nova academia no antigo salão de festa.


Construção de um campo society de grama sintética.


 


Reforma geral no ginásio de esportes.

Fotos